Pontual MT
Faça sua busca
Sábado, 16 Out 2021

Bolsonaro diz que não pretende demitir Mandetta "durante a guerra"

Não pretendo demiti-lo durante a guerra

03 Abr 2020 às 00:20
Reuters

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que não pretende demitir o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a “guerra”, numa referência à atuação dele durante a pandemia do novo coronavírus, mas admitiu publicamente que tem tido problemas com o auxiliar.

“Não pretendo demiti-lo durante a guerra”, disse Bolsonaro, em entrevista ao programa Pingo nos Is, da Rádio Jovem Pan, ao não garantir a permanência dele à frente da pasta após a pandemia.

Na entrevista, o presidente reconheceu já saber que ele e Mandetta estão se “bicando há um bom tempo”. Para ele, o ministro da Saúde em algum momento “extrapolou” e tem tido falta de “humildade”.

“Espero que ele dê conta do recado”, disse o presidente.

Os dois têm protagonizado embates sobre a atuação do governo federal para conter o avanço do coronavírus. Bolsonaro tem defendido relaxamento de medidas de isolamento social para evitar o agravamento da crise econômica. Mandetta, por sua vez, tem respaldado ações de contenção de governos estaduais e municipais para evitar uma maior propagação do vírus.

Bolsonaro disse que nenhum ministro do seu governo é indemissível e considerou que, em alguns momentos, Mandetta deveria ouvir um pouco mais o presidente. Destacou que Mandetta cuida da Saúde, o ministro Paulo Guedes da economia e ele atua no meio. Avaliou que não tem nenhum problema com Guedes, mas Mandetta quer fazer valer a sua posição.

“Tem faltado um pouco de humildade ao Mandetta”, disse. Para Bolsonaro, o clima de histeria e pânico contagiou parte dos profissionais do Ministério da Saúde.

“É igual numa guerra. Numa guerra, a gente vai perder soldados”, disse. “Boa sorte ao Mandetta, espero que ele prossiga na sua missão com um pouco mais de humildade”, reforçou.

as mais lidas
tempo Alta Floresta
°
facebook
notícias

Geral

Número de mulheres mortas aumenta quase 70% em MT no 1º...

Neste ano, 32 mulheres foram vítimas de feminicídio

Geral

Incêndios na Amazônia aumentam em julho

O desmatamento subiu 25% no primeiro semestre

Brasil

Brasil passa de 70 mil mortes por coronavírus

O numero de casos supera 1,8 milhão

Geral

IFMT inaugura laboratório para testes de Covid-19 em Alta...

Hoje as cidades da microrregião só fazem os chamados “testes rápidos”

Geral

Prova de vida de aposentados e pensionistas é suspensa até...

Adiamento foi decidido para evitar contaminações por covid-19

veja mais